Sábado, 19 de Outubro de 2019

Empresário afirma que postos de combustível em Mato Grosso usam laranjas e sonegam




COMPARTILHE

O empresário Júnior Mendonça, que atua no ramo de postos de combustíveis na Grande Cuiabá, afirmou que existem unidades na capital registradas em nome de laranjas e que praticam a sonegação de impostos e a venda de produtos adulterados.

A revelação foi feita durante depoimento de Mendonça à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Renúncia e Sonegação Fiscal, na Assembleia Legislativa, na tarde desta quinta-feira (29).

“O que é muito estranho, realmente, no setor é que temos um número de postos que realmente atuam sem qualquer licença de operação, em nome de laranjas e com combustível sem procedência”, disse.

 “Acredito que seja um número pequeno de postos, de 8 a 12 postos, talvez até 15 unidades, que estejam trabalhando completamente irregular, sem licença. Esta é a realidade do segmento. Temos postos administrados por laranjas e que buscam, por exemplo, sonegação e [venda de] produtos adulterados”, acrescentou. No depoimento, o empresário disse que reservadamente à CPI irá dar alguns nomes de postos nos quais ele suspeita haver irregularidades.

Os parlamentares ainda questionaram Júnior Mendonça sobre a possibilidade de a facção criminosa Comando Vermelho controlar postos em Cuiabá. Isso porque, na mesma CPI, em abril, o empresário do ramo de combustíveis Aldo Locatelli disse que ao menos três unidades são geridas por esses grupos criminosos.Mendonça, entretanto, disse desconhecer a informação. E afirmou ter ficado surpreso com as declarações de Locatelli.

“Eu desconheço. Eu sinceramente quando ouvi através da mídia, não só eu como vários revendedores, não entendi de onde ele tirou essa colocação. Eu não tenho esse conhecimento e conheço vários donos de postos que também não têm esse conhecimento. Mas não posso garantir”, afirmou.

“Eu nunca ouvi dizer que tenha participação de facções criminosas dentro do segmento. De laranjas, sim, mas não chegou que isso seria facção por trás do dono do posto. Temos possibilidade, sim, de alguns postos estarem sendo usados por um PCC [Primeiro Comando da Capital] da vida como vocês falaram. Mas eu não tenho esse conhecimento”, completou.


Autor:AMZ Noticias com Assessoria


Comentários

Notice: Undefined index: envio in /home/jornalda/public_html/2018/noticia.php on line 212
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Notícia Para reproduzir as matérias é necessário apenas dar crédito ao Jornal da Noticia

<