Segunda-Feira, 21 de Setembro de 2020

Vaqueiro que matou bebês gêmeos em São Miguel do Araguaia é condenado a 48 anos de prisão




COMPARTILHE

O vaqueiro Antônio Ribeiro Barros foi condenado a 48 anos de prisão pela morte de gêmeos de 11 meses e pela tentativa de matar a mãe deles, em São Miguel do Araguaia, no norte de Goiás.

O crime aconteceu em 8 de agosto de 2016 na casa em que as vítimas moravam. À época, ele contou ter cometido os crimes em momento de "fúria”, mas consta na sentença que o então réu alegou não se lembrar dos fatos por estar “sob efeito de álcool e drogas”.

A reportagem tentou contato com o advogado do condenado por telefone, mas as ligações feitas entre 10h20 e 10h50 não foram atendidas. O juiz que presidiu o júri foi Ronny Andre Wachel. Segundo a sentença assinada por ele, o vaqueiro “agiu com insensibilidade e frieza invulgares”.

Consta na sentença que o homem esperou o então namorado da mãe dos bebês sair de casa, arrombou a porta do imóvel e cometeu os crimes. O documento relata que os bebês de 11 meses, Lucas Felipe Araújo de Paula e Davi Luiz Araújo de Paula, foram arremessados “violentamente diversas vezes contra o chão”. Também segundo consta na sentença, a mãe dos bebês, Thaís Araújo Oliveira de Paula, foi esfaqueada nas costas e teve um corte no pescoço feito pela mesma faca. Na época do crime, a mulher contou, em entrevista exclusiva à TV Anhanguera, que viu os filhos serem mortos.

"Ele [condenado] arrebentou a porta e um dos meus filhos estava perto. Aí ele pulou, e eu corri para pegar meu filho que estava assustado. Aí ele já veio, percebeu que eu estava saindo, veio por trás. Aí puxou meus cabelos e passou a faca. Já foi pegando meu filho e o jogou no chão. Aí eu corri e fui acudir o David, que estava caído, e ele foi pegou o Lucas e o jogou também. Quando eu fui acudir eles, ele me deu a facada nas costas", contou, aos prantos.

Investigação - O delegado que atuou no caso à época do crime, André Medeiros, pediu a prisão do vaqueiro, que foi concedida pela Justiça um dia após o crime. No dia seguinte – então 10 de agosto de 2016 – ele foi encontrado pela Polícia Militar na zona rural da cidade e está preso desde então.

De acordo com a investigação, Antônio não aceitava o término do namoro com Thaís, que havia durado apenas um mês. A família havia reprovado o romance. Diante disso, ela se separou e começou a namorar um policial militar. Minutos antes do crime, o então namorado estava com ela e viu Antônio passar de moto em frente à casa e xingar a ex. O militar ainda ficou no local por algum tempo acreditando que Antônio não voltaria, o que não aconteceu.


Autor: Vanessa Martins com G1


Comentários
O Jornal da Notícia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Jornal da Noticia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias